Blog
Set 11
IMAGEM BLOG 580x387

O Reflexo da Reflexão

Por vezes damos voltas à cabeça, escavando bem fundo na nossa mente à procura de respostas, numa busca incessante por algo que nos ajudará a sentir mais em paz.

Não sabemos bem a direção a tomar, mas há uma força que nos faz procurar um caminho.

As ideias podem sobrepor-se umas às outras, como se brigassem entre si, como se lutassem por espaço dentro de nós.

O lado inquisidor e crítico da mente assume o trono, procurando abafar a voz da razão que se encontra tranquilamente bem no nosso interior.

O ruído interno dos pensamentos, como ondas agitadas num dia de tempestade, pode fazer-nos sentir à deriva.

Mesmo no pico da tempestade, é-nos sempre dada a oportunidade de observar as ondas e escutar a voz interna que aguarda em silêncio o momento certo para nos guiar.

Podemos escolher respirar como as ondas, libertando os pensamentos e as emoções quando a água se afasta… Libertando o turbilhão de perguntas e deixando-as fundir-se com a poderosa força do mar…. E quando a onda volta a nós, convidando apenas a paz a entrar no nosso interior. Deixando que a água lave a nossa alma, levando consigo tudo aquilo que já não tem morada dentro de nós.

O mar vai-se acalmando à medida que respiramos mais lentamente.

As perguntas agora dissolvidas dão lugar a um mar espelhado cheio de respostas. Observamos a água serena e descobrimos reflexos até então impercetíveis aos nossos olhos.

Vemo-nos sem a lente do ego que cria a ilusão de separatividade.

Vemo-nos despidos da imagem que procuramos criar de nós próprios.

Vemo-nos na nossa essência, reconhecendo as nossas qualidades e também as nossas imperfeições.

E aqui também nos é dada uma oportunidade… é nos dada a oportunidade de aceitarmos a nossa perfeita imperfeição. A oportunidade de nos aceitarmos na totalidade, reconhecendo o longo caminho que ainda temos pela frente.

Assumindo a responsabilidade pelos nossos atos e aprendendo com os nossos erros, mas deixando para trás a crítica, a culpa e o julgamento que infligimos a nós próprios.

Libertando-nos dos pensamentos e emoções que nos pesam, podemos seguir a nossa viagem mais leves, focando-nos na intenção de querer evoluir continuamente.

E quando caminhamos com o coração leve, também nos é dada a oportunidade de aceitarmos mais facilmente as imperfeições dos outros.

Ao vermos pedaços de nós espelhados neles, temos a oportunidade de deixar o coração assumir o leme.

A nossa tolerância e compaixão para com os outros revela-se uma oportunidade única de fazermos as pazes connosco próprios.

Tal como uma onda infinita, um ato de paz para com os outros cria mais paz dentro de nós. E a paz que inunda o nosso ser cria ondas de paz ao nosso redor.

E cada vez que escolhemos a paz, damos também uma oportunidade aos outros para escolherem essa mesma paz.

2 Comments

  1. Teresa Lopes
    Quarta, 11 de Setembro de 2019 at 23:21 · Responder

    Está muito bonito e muito sentido! Parabéns, Bárbara e que as tuas palavras ecoem, em ondas, por todo o Universo! Grande abraço de Amor!

    • Barbara Santos
      Quinta, 12 de Setembro de 2019 at 11:22 · Responder

      Obrigada pelas tuas palavras também! Um grande abraço de Amor de volta para ti!

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *